Serviços O conteúdo desse portal pode ser acessível em Libras usando o VLibras

Programa de Cooperação BRASIL SUL-SUL/COOPBRASS - Edital CAPES 40/2018

Escrito por NOGP/aip  em 15 de Janeiro de 2019

O Programa visa selecionar Projetos Conjuntos de Pesquisa com países da África, da América Latina e Ásia que não tenham Acordo de Cooperação vigente com a CAPES, em todas as áreas do conhecimento, de modo que os benefícios alcancem todas as instituições envolvidas.

Objetivos:

  • Expandir o conhecimento científico por meio da colaboração sul-sul;
  • Criar condições para a construção de redes de colaboração científica sustentáveis em médio e longo prazo;
  • Contribuir para a busca de soluções de problemas e, simultaneamente, promover a transferência bidirecional conhecimentos que sustentem o desenvolvimento científico e tecnológico;
  • Estabelecer parcerias institucionais considerando as respectivas vocações, prioridades ou potencialidades das instituições;
  • Monitorar e avaliar de forma continuada as ações de cooperação sul- sul.

Instrumentos de Ação:

  • Projetos de pesquisa em conjunto e em rede;
  • Concessão de bolsas individuais e inseridas em projetos nas modalidades: doutorado sanduíche, doutorado pleno e pós-doutorado, professores visitantes;
  • Missões de trabalho;
  • Oficinas de trabalho, escola de altos estudos, summer schools.

Itens financiáveis:

  • Auxílio para Missões de Trabalho no Exterior
  • Recursos para Manutenção de Projetos
  • Bolsas no Exterior:
    a) Doutorado Sanduíche
    b) Assistente de Ensino ou de Pesquisa
    c) Pós-Doutorado
    d) Professor Visitante Júnior

Duração dos Projetos: até 4 anos com início a partir de janeiro de 2020. O prazo de início das atividades do projeto no âmbito deste Edital é de até 60 (sessenta) dias, a contar da data do Ofício de Concessão enviado ao coordenador do projeto, caso contrário o projeto será cancelado.

É prevista a aprovação de até 10 projetos anuais, podendo haver alteração deste quantitativo, mediante decisão fundamentada e disponibilidade orçamentária da CAPES.

Agência

CAPES/MEC

Prazo de inscrição

sexta-feira, 31 de Maio de 2019 às 23:59 (74 dias restantes)

Critérios de elegibilidade

  1. A proposta de projeto conjunto deve ter caráter institucional e: a) ser coordenada, pelo lado brasileiro, por docente doutor da Instituição de Ensino Superior (IES) ou Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação (ICT), pública ou privada, nos termos do Decreto 9.283/18; b) ser coordenada, pelo lado estrangeiro, por docente vinculado a Instituição de Ensino Superior (IES) ou Instito de Pesquisa (IP), preferencialmente com título de doutor.
  2. Cada proposta de projeto conjunto deverá planejar suas atividades considerando a duração de 4 (quatro) anos. Será realizada avaliação ao final do segundo ano, podendo o projeto ser renovado por mais 2 (dois) anos, conforme critérios de avaliação da DRI/CAPES. A implementação do terceiro e do quarto anos de projeto conjunto está condicionada à aprovação de relatório parcial de atividades, às prestações de contas anuais, ao plano de atividades atualizado para os dois últimos anos e à disponibilidade orçamentária da DRI/CAPES.
  3. A proposta de projeto deverá conter previsão de formação de recursos humanos nas modalidades previstas.
  4. A proposta deverá: a) ter caráter inovador considerando, inclusive, o desenvolvimento da área no contexto nacional e internacional, explicitando as vantagens advindas da cooperação Sul-Sul; b) indicar os potenciais resultados do projeto, ressaltar seu impacto econômico e social e mencionar estratégias para ampliá-los; c) apresentar documento oficial das instituições envolvidas no projeto de isenção total de taxas acadêmicas e administrativas pelas partes brasileira e estrangeira; d) indicar a mobilidade de discentes (Missões de Estudo) no sentido Brasil-Exterior e no sentido Exterior-Brasil, quando houver; e) ter previsão de até 2 (duas) missões de trabalho por ano de projeto, contado a partir do início da concessão, incluindo, quando for o caso, a viagem do coordenador do projeto.
  5.  Serão priorizados projetos em rede que demonstrem diversidade regional na sua composição e potencial para a formação de grupos de excelência nacionais.
  6.  O autor da proposta será o coordenador do projeto, e deverá: a) ser vinculado à uma Instituição de Ensino Superior ou Instituição CienIfica, Tecnológica e de Inovação, pública ou privada, nos termos do Decreto 9.283/18, e estar vinculado a um Programa de Pós-Graduação reconhecido pela CAPES; b) não acumular a coordenação de mais de um projeto no âmbito do Programa de Cooperação Brasil Sul-Sul; c) ser detentor do título de doutor; d) ter reconhecida competência na área e disponibilidade para as atividades acadêmicas e administrativas atinentes ao projeto;
  7. No Brasil, a entidade responsável pelo programa é a CAPES. No Exterior, o apoio financeiro à equipe estrangeira será conforme os mecanismos de fomento a ela disponíveis, não havendo responsabilidade da CAPES pela sua manutenção.

Fonte

http://www.capes.gov.br/cooperacao-internacional/multinacional/pve/programa-de-cooperacao-brasil-sul-sul-coopbrass

NewsletterNovidades Cidacs